IDENY ESCRITOS & TELAS

Obrigada pela visita. Abçs!Projeto Livres  Pensadores.org

19 de agosto de 2009

Um dos últimos questionamentos dos "quase fora" da religião:.A PROTEÇÃO

O Ultimo questionamento daquele, que, tendo aberto os olhos, para a manipulação das massas através dos tempos, pela religião, e tendo ainda inculcado em si a idéia de que um ser o guarda e o protege, o que sente é um grande temor. O temor de se andar sozinho! Este é um processo, que, creio eu, todos os que já tiveram a mente numa lavagem cerebral profunda da religiosidade, enfrentam: a fase de descobrir, que embora ciente de toda manipulação e mentira, é confortável entender que alguém o protege. Quanto sofre o coração de uma mãe soltar o filho no mundo, com tanta maldade e injustiça, precisa-se da imagem de um anjo, de um deus, a quem se entrega à guarda o filho amado. Motoristas irresponsáveis, embriagados, podem tirar a vida de seu filho, que deus o proteja! Homens maus, sem caráter, doentes mentais, podem estuprar seu filho ou filha, pois andam soltos pelas ruas: que deus o proteja! A maior e talvez uma das últimas dificuldades de um ser que já está quase pronto para se desvencilhar desta idéia de massa, deste senso comum, é o medo de sentir-se desprotegido. Porém, face a isto, começa a observação... Numa cidade proxima, onde morei antes de vir para cá, uma menina de pais extremamente religiosos foi estuprada e morta por uma gang de um bairro. Com certeza esta mae colocava a filha nas maos de deus, para que ele a protegesse de todo mal... Outro medo das pessoas são as doenças terriveis, que eles pedem para que deus os livre... pedem e confiam, mas quando a cura nao acontece, atribuem à vontade de deus, que sempre prevalece, não a nossa. Então que importancia tem o pedir, se é a vontade de deus que sempre prevalece? Na minha cidade, há não muitos anos, um grupo de escoteiros mirins, da Igreja Adventista retornava de um acampamento, onde com certeza foram confiados pelos pais, por haver ali, num ambiente religioso a proteção divina. Aconteceu que um caminhão desgovernado matou, aleijou e feriu a todos. Nenhum só ficou ileso. Então neste ponto de pedir proteção e confiar, que mal maior poderia acontecer a estes meninos, se deus evitou algo? Um estupro por exemplo, que no meu ponto de vista é o maior dos crimes, o mais sofrível e humilhante dos atos que se pode sofrer. Pois foi dentro da propria igreja, e justamente a Adventista, onde uma menina de dois anos, foi estuprada e largada agonizante dentro da pia batismal. A mãe já confiou a menina na casa de deus, por senti-la protegida de todo mal... Então, no mínimo, se deus existe, é ele quem decide o que de ruim pode acontecer, e o modo como vai acontecer, nao adianta pedir proteção... E a moça que voltava do culto, onde certamente havia pedido muitas bençãos e proteção, e foi assaltada na rua. A ingenua implorou que o assaltante lhe devolvesse a bíblia, a resposta do marginal foi um tiro mortal. Note-se que, nem estou questionando existencia ou nao existencia de deus, estou questionando a pratica religiosa de pedir proteção, ora, se deus existe e faz conforme sua vontade, vão é pedir... Estamos sempre neste mundo, vítima do acaso, ou de um karma talvez? Nos acontece o que tem de acontecer sem um deus para nos proteger? Eu já escapei duas vezes da morte e nem por isto considero que foi para cumprir uma missão aqui na terra que fui poupada. Posso vir a sofrer outro mal algum dia, e desta vez ser para valer... quem sabe. Como o religioso veria isto? Ora, veria que deus o protegeu nas outras vezes, e que decidiu levá-lo agora... Não dá tudo no mesmo? acreditar, pedir, ou nao acreditar e nao pedir? Alguém quer comentar algo, para este assunto se estender?

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Religião e racionalidade simplesmente não combinam. Essa ideia de proteção é "vaga". No meu ponto de vista, trata-se apenas de uma visão otimista ou pessimista do mundo. Toda situação tem uma interpretação a cada olho. Se você fica aleijado depois de um acidente brutal com um bêbado pode (1) agradecer por estar vivo e entender que teve esse acidente porque Deus sabia que você era capaz de carregar esse "fardo" e ainda perdoar o bêbado por ele ser uma pessoa má que vai para o "inferno" ou (2) enlouquecer ao questionar o quão caótico, aleatório e desregrado é o mundo. Não existe lei da ação e reação como na física. Ser bom não significa nada no mundo terreno, você continua um alvo provável de bala perdida. Assim como pode ser ruim, fumar, beber, torturar e roubar vivendo até os 100 anos e aproveitando a vida. Por essa insanidade ilógica do mundo, as pessoas projetam no pós-vida algum tipo de recompensa positiva ou negativa (céu e inferno) porque senão seria doloroso demais viver. Acho que a questão é por aí. Agradeço pelo elogio, também gostei do seu blog. Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Sim, compreendo, então pouco importa se existe um deus ou não, as coisas acontecem aleatoriamente e qdo são boas agradecemos a deus, qdo são ruins, justificamos, que ele sabe o que faz... Quando vejo crentes morrendo das mesmas doenças que afetam incrédulos, qdo sei que foram atropelados, como todo incrédulo pode ser, vejo, inútil é pedir proteção... Sem falar no grupo de crianças que voltavam dos trabalhos da igreja e um caminhão desgovernado as atropelou... Elas estavam na igreja, orando, pedindo proteção... e onde estava o deus que na volta deixou o caminhao trepar sobre todas elas, matando umas e causando danos irreversiveis a outras... Este é o maior medo de um pai e mãe, por isto pedem proteção, no entanto... nao adiantou... e se era vontade Dele... que adiantava pedir então? Bah!

    ResponderExcluir